Um raro e versátil talento musical brasileiro nos EUA


Velozo2

Quando conheci o trabalho dos Acadêmicos de Milton Friedman, achei muito interessante a riqueza das influências utilizadas como base para as composições, desde o samba-jazz Jorge Ben até o bolero e o maxixe. É verdade que o samba, nascido nos morros do Rio de Janeiro e maturado pela genialidade de Pixinguinha e seu período absorvendo o jazz e o bluegrass nos EUA, não existiria sem os diversos estilos afro-americanos desenvolvidos ao longo dos séculos de mixigenação cultural no continente americano.

As letras também me interessaram pela abordagem leve e humorística de um assunto sinuoso como a economia-política, debochando elegantemente de autoridades e seus discursos populistas. O pouco que conheço do assunto me fez entender que houve pesquisa aprofundada nos temas, não é resultado de meros clichês e slogans. A junção dessas qualidades me despertou a curiosidade para saber mais sobre quem estava por trás disso, e vi então que se tratava do trabalho de Jopa Velozo, músico brasileiro radicado em Boston.

Busquei mais sobre seu trabalho e sua trajetória: nascido e criado no Rio de Janeiro, estudou com luminares do calibre de Alex Carvalho, Lupa Santiago, Sizão Machado, Bob Wyatt e Daniel D’alcantara, indo mais tarde viver intensamente a cena jazz paulista durante alguns anos. Lá fundou, tocou guitarra, compôs e arranjou para o excelente Quarteto Dois e Dois e para o Bolaoito Octeto, mergulhando fundo na mesma viagem musical empreendida quase um século antes pelo mítico Pixinguinha.

Mas, obviamente, a passagem do tempo mudou e enriqueceu a música, e a influência mais marcante nas composições e arranjos de Velozo me parecem vir de outro luminar brasileiro do samba e do jazz, o saudoso maestro Moacir Santos: quando ouvimos a sessão de ritmo, somos transportados a um terreiro religioso africano e o sopro representa a voz de um sacerdote contando a história oral de seu povo. Em outras peças é o balanço do mar que nos leva calmamente até a praia. Essa influência marcante do samba é também aquilo que mais diferencia o jazz brasileiro de outras escolas.

Velozo partiu então de Sampa para buscar uma educação formal na famosa Berklee College of Music, e esteve sempre nas listas dos melhores alunos até sua formatura. Foi durante sua formação que fundou o Acadêmicos de Milton Friedman, e vem se direcionando para o rock setentista com o projeto Stone Giant. Vale a pena ficar ligado à evolução desse músico tão diversificado quanto talentoso, unindo técnica e inspiração em peças que transcendem a simples adição de nota atrá de nota musical: estamos falando da verdadeira arte musical de elevar a alma através dos sons.

Velozo1

Um raro e versátil talento musical brasileiro nos EUA

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s